Terça-feira, 16 de Agosto de 2022
A “Missão + 2022”, organizada pelos missionários combonianos, propõe aos jovens uma semana com trabalho manual, como a apanha da batata doce e do tomate, na região Oeste de Portugal. O padre Filipe Miguel Oliveira Resende é o missionário encarregado da organização do evento. O campo de férias com imigrantes destina-se a jovens com mais de 18 anos
. [Ecclesia]

O padre Filipe Resende, missionário comboniano, contou à Ecclesia que esta “Missão + 2022” quer que os jovens tenham contacto com histórias reais dos imigrantes e possam “colocar-se na realidade dura da vida dos imigrantes em Portugal”. “Pretende-se que os jovens possam conhecer a realidade dura da vida dos imigrantes em Portugal, mas também fazer parte da transformação e do processo de mudança da vida destas pessoas, através do acompanhamento, ser solidário e da ajuda no seu dia a dia”, explica o sacerdote em declarações à Agência ECCLESIA.

O campo de férias acontece de 16 a 21 de agosto, na região Oeste de Portugal, mais particularmente nas Caldas da Rainha e Óbidos, e vai ter tempos de trabalho manual, como na apanha da batata doce e do tomate. 

“Os imigrantes que trabalham naquela zona são a maior parte da América Latina, mas também há do norte de África, da Nigéria, dos Camarões e outros que chegaram ao nosso país depois de atravessar o Mediterrâneo”, conta.

Segundo o padre Filipe Resende, a ideia para este campo de férias chega do acompanhamento que os Combonianos fazem na zona de Camarate, em Lisboa, onde “tomam conhecimento desta realidade através da obra comboniana de promoção humana (OCPU)”.

O sacerdote vai acompanhar os seis dias de voluntariado e acredita que “só calçando os sapatos dos imigrantes se percebe esta realidade” que espera ser transformadora. “Tenho uma expetativa muito forte de fazer esta experiência próxima do que estas pessoas estão a viver para me transformar na minha própria visão de vida, porque temos a vida facilitada e quero-me deixar transformar pelo que vou ver e ouvir, espero poder aprender também”, assume.
[
SN – Ecclesia]