Terça-feira, 1 de fevereiro de 2022
No dia 2 de fevereiro a Vida Consagrada é chamada a celebrar o seu DIA MUNDIAL. É, também, a festa de N. Sra. da Candelária e da Apresentação do Senhor. Os dois símbolos são a luz e a oferta, os dois pombinhos. A luz que representa o Cristo Senhor resplandecente em nossas vidas, retirando as trevas de nossas incertezas e medos, iluminando os caminhos tortuosos do nosso peregrinar. A oferta são nossas vidas de pessoas consagradas solidárias com as alegrias e esperanças do mundo, dos destinatários(as) de nossos carismas fundacionais e a inserção nas igrejas locais em processo sinodal.

“Fazei tudo o que ele vos disser!”
(Jo 2,5)

Queridas irmãs e queridos irmãos, não deixem que nos roubem a seiva que alimenta nossa mística, nossa profecia e sabedoria evangélica.

No dia 2 de fevereiro a Vida Consagrada é chamada a celebrar o seu DIA MUNDIAL. É, também, a festa de N. Sra. da Candelária e da Apresentação do Senhor. Os dois símbolos são a luz e a oferta, os dois pombinhos. A luz que representa o Cristo Senhor resplandecente em nossas vidas, retirando as trevas de nossas incertezas e medos, iluminando os caminhos tortuosos do nosso peregrinar. A oferta são nossas vidas de pessoas consagradas solidárias com as alegrias e esperanças do mundo, dos destinatários(as) de nossos carismas fundacionais e a inserção nas igrejas locais em processo sinodal.

O que podemos ainda apresentar como luz e oferta à Igreja nesses tempos de pandemia que desafiam nossa perseverança no seguimento de Jesus? Faço eco a três situações importantes: 1. Nosso empenho como VRC no processo sinodal; 2. A comunhão com todas e todos que sofrem o flagelo da fome, do desemprego, da Covid-19 e da instabilidade democrática; 3. A reflexão sobre a ressignificação da VRC em vista da 26ª AGE.

  1. Estamos em sintonia com Papa Francisco na preparação do Sínodo 2023. A sinodalidade – comunhão, participação e missão, convoca-nos a participar de forma afetiva e efetiva em nossas dioceses, paróquias, comunidades, núcleos e regionais, da ampla ESCUTA do Povo de Deus. Não podemos ficar à margem desse processo. Nem podemos esperar que nos convidem. É nossa missão dar o primeiro passo. Ser presença ativa nas escutas e dar nossa contribuição desde nossas práticas sinodais. Temos muito que aprender e muito que oferecer.
  2. Vivemos uma época de grande instabilidade democrática no Brasil. Há grandes incertezas, retrocessos, ameaças, desagregação e uma sensação de impotência e de surdez aos clamores pela justiça.  O desmonte das políticas públicas, da participação popular, dos movimentos sociais, a predominância da mentira, da manipulação dos valores e da institucionalização do negacionismo, desmoralizando a ciência e implementando a desinformação, apenas agravam a crise sanitária, econômica e social. A sociedade cansada, as pessoas desmotivadas e o clima de insegurança geram a sensação de que somos uma ameaça para o outro. A VRC não pode embarcar nessa onda negacionista e precisa resgatar seu papel profético.
  3. A preparação da 26ª Assembleia Geral Eletiva da CRB, de 19 a 22 de julho 2022, requer de todas e todos o protagonismo ousado e sinodal. O tema geral: Ressignificar a VRC numa Igreja sinodal, iluminada pela Palavra de Deus, “permanecei em mim” (Jo 15), é um apelo criativo a repensar nossa animação, organização e projeção rumo aos 70 anos da CRB.

Deus pede que bebamos da seiva que alimenta a fraternidade, a solidariedade e a missão carismática de nossos institutos. A poda é o Espírito Santo que faz, sejamos dóceis.

Celebremos o Dia Mundial da Vida Consagrada com ardor e gratidão! Obrigada, Senhor, pela Vida Consagrada, fiel e criativa, em todo mundo.
Ir. Maria Inês Vieira Ribeiro, mad
Presidente da CRB Nacional

Brasília, 28 de janeiro de 2022